Voltar
LV The Book

NOSSAS HEROÍNAS

Livre, singular, poderosa... Como podemos definir a mulher Louis Vuitton? A resposta vem necessariamente no plural: ela deve ser observada e admirada em sua diversidade. Única, porém múltipla.

SELENA GOMEZ
Ambiciosa: Que tem ambição. Anseio veemente de
alcançar determinado objetivo, de obter sucesso.
Ter a ambição de vencer.

Quando se tem 23 anos, tanto o talento quanto a ambição são medidos nas mídias sociais. Mais de 56 milhões de pessoas, ou seja, o equivalente à população de um país, formam o grupo de fãs que seguem o cotidiano de Selena Gomez no Instagram. É preciso dizer algo mais?
E ela compreendeu que, como a música, a moda é uma ambição. Assim, a “Miss Gomes” exibe sua sofisticação como um estandarte. Eu me visto, logo existo… Por que não?

DOONA BAE

Espontânea: Que obedece a seus impulsos, que diz sinceramente o que pensa. Uma garota muito espontânea.

Quem é realmente Doona Bae? Atriz? Modelo? Fotógrafa? Sem dúvida, uma superstar em seu país! Sua beleza delicada de estatueta de Tânagra, a voz doce e sua presença enigmática fazem dela uma mulher de sua época, de um novo mundo, de um novo tipo, de uma nova feminilidade.  De um novo Éden onde as atrizes seriam divindades modernas.

CATHERINE DENEUVE E KATE MOSS

Livres: Que pode dispor de sua liberdade, que não está sujeito ao controle por parte de outra pessoa. Está livre para decidir.

Belles de jour e reines de nuit… Catherine Deneuve e Kate Moss sempre foram objeto de todos os desejos, mas jamais pertenceram a nenhuma tribo nem a qualquer tendência. Porque são livres por natureza. Pouco importa que estejam diante de uma câmera ou máquina fotográfica, caminhando sobre o tapete vermelho ou num recanto discreto, elas sempre dão a impressão de terem escolhido o momento em questão. Uma qualidade rara.

LÉA SEYDOUX
Instintiva: Que procede do instinto.
A inteligência é instintiva.

É preciso confiar em sua intuição para navegar com tanta serenidade entre os diferentes gêneros de cinema.  E certamente é seu instinto que torna Léa Seydoux tão impressionante nos filmes de autor quanto notável nos blockbusters. Trinta anos de idade e trinta filmes. Uma carreira fulgurante na qual se distingue uma característica essencial da personalidade de Léa Seydoux: a autenticidade.

IMPERATRIZ EUGÉNIE
Independente: Que não se submete a injunções. Que se mantém livre de qualquer influência. Uma personalidade independente.

Eugenia María de Montijo casou-se com Napoleão III em 1853, tornando-se assim imperatriz da França. Sua beleza e seu estilo despertaram a cobiça de muitos homens. Alguns chegam a afirmar que Eugénie inventou o que hoje chamamos de “moda”. Também foi ela que considerou a educação das mulheres uma prioridade, e ainda ela que lutou ativamente em favor da atribuição do diploma de estudos secundários pela primeira vez a uma mulher. Eram os primórdios do feminismo.

LIGHTNING
Singular: Que é único de sua espécie, distinto, ímpar. Toda vida é singular.

Lightning é a personagem principal de Final Fantasy XIII, videogame que vem fazendo muito sucesso no mundo inteiro. Lightning não se parece com ninguém. Sua arma predileta? A gunblade! A não ser que sejam seus olhos azuis... Durante o combate, essa guerreira pode chamar Odin, seu grande cavalo branco. Lightning tem nobreza e luta pela liberdade. Sua máxima? “A questão não é saber se você pode fazer algo, mas antes se deve fazê-lo”, diz ela. Fascinante.

MAGGIE CHEUNG
Pioneira: Que está entre os primeiros, precursor.

Ela foi criada na Inglaterra, conquistou Hong Kong e o cinema asiático com sua beleza encantadora, antes de subjugar o mundo inteiro. Pioneira, Maggie Cheung foi a primeira atriz vinda do Império do Meio a tornar-se uma estrela sem fronteiras. Desde então, suas aparições no cinema têm sido raras, mas sua imagem ainda nos seduz.  Despertando o desejo de mais uma vez nos sentirmos sob o encanto da fascinante Cheung.

CINDY SHERMAN
Ousada: Que tem audácia, ousadia ou insolência.
Uma mulher ousada.

Cindy Sherman é a artista absoluta. Ela reduz ao mínimo a distância entre o artista e seu tema. Ao ousar passar-se por criança, palhaço, cadáver ou atriz frustrada, ela trata da representação da mulher em particular e de nossa fragilidade em geral. Com seu “eu” ela fala diretamente com cada um de nós. Obrigado, Cindy Sherman. Sua ousadia nos faz bem.

ALICIA VIKANDER E MICHELLE WILLIAMS
Determinadas: Que não hesita, resoluto. Estar determinado a obter algo.

Como sobreviver em Los Angeles quando o sucesso chega aos 20 anos?  Graças à força de vontade — expressão um tanto antiquada, mas que denota certa elegância —, parecem nos responder Michelle Williams e Alicia Vikander. A loura de traços sempre adolescentes Michelle Williams sempre demonstrou a humildade — e o gênio artístico — de se eclipsar em benefício de seu personagem. Esse mesmo instinto artístico caracteriza Alicia Vikander, com sua beleza deslumbrante e seu porte altivo de ex-bailarina. Nem por isso as duas atrizes deixam de ser autênticas estrelas.

DIANA VREELAND

Vanguardista: Que pertence à vanguarda. Pertencente a um movimento inovador na área intelectual, técnica, artística.

 “Detesto a nostalgia. Não acredito em nada anterior à penicilina”, tinha o hábito de dizer aquela que esteve à frente das revistas Harper’s Bazaar e Vogue americanas entre 1936 e 1971. O vanguardismo fazia parte de sua personalidade. Grande imperatriz do look, Mrs. V mostrou que havia inteligência no mundo da moda. Mais que uma lição de estilo, a personalidade de Diana Vreeland é uma lição de vida.

Categorias: